quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Suzano recebe licença de fábrica de celulose em Imperatriz

A fábrica do Grupo Suzano, que será instalada em Imperatriz, acaba de receber licença para a atividade de produção de celulose e papel. Esse é mais um trabalho do governo do Estado visando incrementar os investimentos em andamento no Maranhão, de maneira que sejam instalados de forma célere, mas de forma sustentável, resultando em desenvolvimento e geração de emprego e renda para a população.

A licença, emitida pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Sema), sob nº 711/10, tem validade de 29 de outubro deste ano até 29 de outubro de 2011. A Suzano Papel e Celulose também recebeu da Sema autorização (outorga) para uso de água superficial do Rio Cinzeiro, situado no município de Imperatriz, para fins industriais.

Essa agilidade e interesse do governo em atrair e fazer com que os investimentos aconteçam, como agora, nesse avanço em relação ao licenciamento de instalação da fábrica de celulose, foi ressaltada pelo presidente da Suzano, Antônio Maciel Neto, em agosto do ano passado, quando do anúncio oficial do empreendimento em Imperatriz. “Outros estados disputaram o investimento, mas o trabalho do Governo do Maranhão e o empenho da governadora Roseana Sarney foram decisivos para a instalação da fábrica nesse estado”, afirmou Maciel.

O secretário estadual de Meio Ambiente, Washington Rio Branco, disse que há uma determinação da governadora para que os processos de licenciamento sejam analisados de forma ágil, mas dentro das normas da legislação ambiental. “Tem sido assim com a Suzano e com todos os outros grandes projetos em andamento no estado”, assegurou.

O projeto da Suzano, orçado em R$ 4 bilhões, integra um conjunto de investimentos estimados em R$ 100 bilhões para os próximos cinco anos no Maranhão, o que inclui a Refinaria Premium I, em Bacabeira; a construção da Hidrelétrica de Estreito; as usinas termoelétricas da MPX em São Luís e em Santo Antonio dos Lopes; a exploração de gás natural em Capinzal do Norte; a ampliação e modernização do Porto do Itaqui, entre outros.

Com a questão de licenciamento ambiental bem encaminhada, a Suzano segue o projeto de instalação do empreendimento em Imperatriz de acordo com o cronograma estabelecido. A previsão é que as obras de construção da fábrica tenham início no primeiro semestre de 2011. A parte florestal também está bem estruturada.

As atividades da fábrica estão previstas para começarem em 2013, com capacidade para produzir 1,3 milhão de toneladas/ano de celulose. Na fase de construção, serão gerados aproximadamente oito mil empregos, e 4.600 contratações diretas na área florestal, além de 1.250 na área industrial.

A produção de celulose da Suzano será exportada, por meio de navio a um terminal privado que o grupo pretende construir em São Luís, possivelmente próximo ao Porto do Itaqui.

Líder no mercado de papel cartão na América Latina, o Grupo Suzano está entre os 10 maiores produtores de celulose do mercado. É a segunda maior produtora de celulose de eucalipto do mundo. Em 2008, registrou um volume recorde de 2,7 milhões de toneladas de produção de papel e celulose e 2,5 milhões de toneladas de vendas de papel e celulose de mercado, 29% acima do ano anterior.
As informações são da Secom do Estado.

http://correiodeimperatriz.com.br/site/?p=5973

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário